segunda-feira, 14 de março de 2011

Patê de Ovas de Ouriço Negro

A intimidade que tenho com ouriços marinhos vem de longa data. Desde que comecei a mergulhar com 8 anos de idade. Faz 40 anos! Lembro que quando ganhei minha primeira roupa de mergulho eu tinha a mania de catar ouriços na praia de Itaguaçu, colocava em uma canoa e despejava em outro local. Era somente por diversão. A primeira vez que eu soube que o equinoderme era comestível foi em um acampamento na Ilha do Arvoredo. Faz mais de 30 anos. Eu, meu pai, meu irmão, tio Afonso Corrêa e filhos estavamos passando alguns dias acampados e em um rancho no porto norte daquela ilha encontrei 2 japoneses. Um eu conhecia, pois ele era meu professor de carate e judo e chamado Sogo. O outro era um mergulhador que tirava ouriços, os abria para extrair as ovas e as secava ao sol. Depois levava para São Paulo e as vendia. Entre 20 e 30 anos eu vivia com ouriços espetados no corpo. Mãos, cotovelos, joelhos e cabeça eram cheios de espinhos devido a pesca de lagostas e garoupas. Em quase todas as pescarias eu espetava as "agulhas negras". Hoje apresento a receita de patê de ouriço. Acho que a receita foi inventada por mim, pois não encontro referência na internet ou em livros.

Foto: Renata Sehn
PATÊ DE OVAS DE OURIÇO NEGRO

 
INGREDIENTES
Ovas de 1 ouriço;
1 colher (sobremesa) de manteiga;
1 colher (chá) de cebola bem picada;
2 colheres (sopa) de creme de leite;
Salsinha picada a gosto;
Sal a gosto.
MODO DE PREPARO
Colocar a manteiga e a cebola em uma frigideira e levar ao fogo. Quando a cebola começar a dourar, acrescente as ovas e mexa sem parar. Após 3 minutos juntar o creme de leite e manter por mais 1 minuto. Salgar a gosto e misturar um pouco de salsa picada. Levar ao refrigerador para gelar. Servir o patê no interior da carapaça do ouriço. Guarnecer com torradas.


terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Lambe-Lambe - Nome estranho, sabor maravilhoso

Em Florianópolis existe um prato com um nome estranho: "Lambe-Lambe". Porém o nome faz sentido. Trata-se de uma receita preparada com mexilhões (na ilha chamamos de mariscos). Os bivalves são cozidos com refogado e quando estão começando a abrir, acrescentamos arroz e água do cozimento de peixe ou camarões. O Arroz invade as conchas e absorve um sabor maravilhoso. Depois de pronto lambemos as conchas para retirar o arroz e o mexilhão. Entenderam a origem do nome? Vamos a receita...


Foto: Marcos Quint

Nome: Lambe-Lambe

INGREDIENTES
1 k de camarões;
1 k de mexilhões (mariscos);
3 xícaras de arroz parbolizado;
3 colheres (sopa) de pimentões coloridos picados;
4 colheres (sopa) de cebola bem picada;
1 colher (sobremesa) de alho picado;
1 pimenta dedo de moça sem sementes e bem picada;
1 colher (sobremesa) de sal;
1 colher (chá) de açafrão da terra;
1 colher (sopa) de manjericão picado;
4 colheres (sopa) de azeite;
Água;
1 colher (sopa) de salsinha.
MODO DE PREPARO
Descasque os camarões e limpe-os. Com as cabeças dos camarões prepare um caldo cozinhando-as até ferver por 3 minutos em 1 litro de água. Reserve. Em uma caçarola refogue por 5 minutos a cebola, alho, pimentões, pimenta e o açafrão. Acrescente os mexilhões 5 minutos. Salgue e adicione os camarões, arroz, manjericão e a água do cozimento das cabeças de camarão. Quando começar a aparecer furinhos na superfície do arroz, tampe a panela e apague o fogo. Deixe descansar por 5 minutos com a panela tampada. Após o descanso, abra a tampa e misture a salsinha ao arroz. Se houver água residual, cozinhe mais um pouco até a água evaporar totalmente. Cuidado para não queimar.
Sirva bem quente!